Catástrofe anunciada: SC tem novo recorde de casos da Covid-19, com 9,1 mil em 24h.

Catástrofe anunciada: SC tem novo recorde de casos da Covid-19, com 9,1 mil em 24h.

Enquanto vemos as praias do litoral Catarinense cheias, pessoas se divertindo como se estivéssemos imunes ao vírus.

 Temos 15 hospitais  sem leitos de UTI disponíveis.

Informações do Governo do Estado indicam que este sábado (28) teve a maior alta de casos da Covid-19, com 9.523 em um único boletim epidemiológico. VOU REPETIR   EM CAIXA ALTA  - 9,523 CASOS CONFIRMADOS EM 24 HORAS.

Segundo informações da assessoria da Secretaria de Estado da Saúde, o número crítico não tem relação com testes represados ou problemas técnicos, sendo uma demonstração do avanço da pandemia.  

Catástrofe anunciada: SC tem novo recorde de casos da Covid-19, com 9,1 mil em 24h.
Atualmente, 15 hospitais estão lotados no Estado, o maior número desde o início da pandemia – Foto: Jonathan Batista/divulgação ND

A alta é praticamente 50% maior do que o recorde anterior, da penúltima sexta (20), quando foram confirmados 6,1 mil casos.

O Estado, agora, soma 355 mil casos do novo coronavírus, sendo que cerca de 90% estão recuperados, e 30 mil pacientes estão com o vírus ativo, o maior número até então.

Além disso, são 3,7 mil mortes ocasionadas, sendo que 35 foram incluídas nesta atualização.

Com isso, o panorama catarinense, que já não era favorável, demonstra mais um número que deve influenciar as medidas das gestões estaduais e municipais.

No momento, a maioria dos especialistas considera a alta um fenômeno que resulta das quebras de isolamento social, especialmente as vistas em feriados, e os eventos, considerando a existência de festas clandestinas.

Na última semana, o Estado quebrou três vezes o recorde de casos confirmados, e durante a última quarta (25), o mapa de risco potencial foi atualizado.

Agora, 13 das 16 regiões estão em risco potencial gravíssimo, o mais crítico da escala, sendo que eram somente três anteriormente.

O foco da doença segue sendo na capital, que soma 31.545 casos da Covid-19, sendo considerada o novo epicentro do vírus por alguns especialistas.

Em seguida, em casos confirmados:

Joinville: 29.979

Blumenau: 19.915

São José: 17.502

Criciúma: 12.233

Palhoça: 11.789

Balneário Camboriú: 11.620

Itajaí: 11.318

Maior número de hospitais superlotados

Desde que o Estado começou a confirmar mais de 2 mil casos por dia nos boletins epidemiológicos, representando uma nova onda da pandemia no Estado, o índice de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) tem subido.

Atualmente, são 87% dos leitos lotados, o maior índice até então. Ou seja, o Estado tem 1.438 leitos ativos, mas 1.253 estão ocupados, sendo 575 por pacientes da Covid-19

Atualmente, isso deixa 185 leitos livres em todo o território catarinense. Mas, mesmo com quase 200 leitos disponíveis, o Estado soma 15 hospitais que estão totalmente lotados, sem nenhum leito de UTI disponível.

Unidades totalmente lotadas:

Hospital Bethesda, em Joinville

Hospital Bom Jesus, em Ituporanga

Hospital de Caridade Bom Jesus dos Passos, em Laguna

Hospital e Maternidade Tereza Ramos, em Lages

Hospital Governador Celso Ramos, em Florianópolis

Hospital Hélio Anjos Ortiz, em Curitibanos

Hospital Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Nova Trento

Hospital Regional Helmuth Nass, em Biguaçu

Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê

Hospital Santa Cruz, em Canoinhas

Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte

Hospital São Braz, em Porto União

Hospital São José, em Jaraguá do Sul

Hospital Waldomiro Colautti, em Ibirama

Maternidade Darcy Vargas, em Joinville

Três das unidades não possuem pacientes da Covid-19, e outras três possuem todos os seus leitos ocupados por pacientes do vírus.

Em termos regionais, o Sul, e a Serra e Meio-Oeste catarinense somam os índices mais críticos, ambas com 89% de ocupação global.

No mapeamento estadual, que aponta 13 das 16 regiões de Santa Catarina como em Estado gravíssimo, são nove que estão com capacidade de atenção perto do limite.

A variável mensura a capacidade da região atender pacientes, sendo que a Foz do Rio Itajaí e o Extremo Oeste catarinense são as únicas regiões com risco reduzido.

Refletindo dados colhidos na sexta-feira (17), foram 36,6% dos catarinenses em casa, um índice que fica acima da média nacional, que é de 35,4%.

Os dados são da plataforma In Loco, que mapeia 1,5 milhão de catarinenses via smartphone.

No ranking de Estados, Santa Catarina ocupa a 11ª posição, e quem lidera são os Estados do Acre (41%), Amazonas (40%) e Ceará (38%).

Vale ressaltar que as quebras de isolamento foram o principal motivo apontado por especialistas da saúde quando questionados sobre as altas desta e da última semana, que ocorreu alguns dias depois de feriados com praias lotadas.

FONTE - ndmais


Postar um comentário

Deixe seu comentário (0)

Postagem Anterior Próxima Postagem